estremecem folhas

foto: Margarida Araújo – 10º ano (2021-22)

poema: “Rumor”, de Flor Campino

Rumor

Estremecem folhas numa paisagem
que houve antigamente. Na fonte
lhes examinamos a forma, a retenção da luz,
o brilho, a rede delicada dos veios,
a textura sedosa da pele. Dizem
a palavra rumor que nelas pulsa.

Flor Campino (1934-       )

Advertisement

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s